sexta-feira, 3 de julho de 2015

PAIS QUE LEVAM O FILHO À IGREJA NÃO VÃO BUSCÁ-LO NA CADEIA


Estou indignado com o nível de irracionalidade que toma conta do nosso país. Esta mesma foto no Facebook recebeu milhares de curtições. Ninguém parou para pensar o quanto é absurda essa afirmação apenas por essa mistura infeliz de insanidade, ignorância e fé.


Autoritárias, paralisadoras, circulares, às vezes elípticas, as frases de efeito, também jocosamente denominadas pedacinhos de ouro, são uma praga maligna, das piores que têm assolado o mundo. (José Saramago)


SOBRE O AUTOR DA FRASE

IÇAMI TIBA É membro da Equipe Técnica da Associação Parceria Contra Drogas (APCD), membro eleito do Board of Directors of the International Association of Group PsychotherapyProfessor-Supervisor de Psicodrama de Adolescentes pela Federação Brasileira de PsicodramaConselheiro do Instituto Nacional de Capacitação e Educação para o Trabalho,  conselheiro do Instituto Via de Acesso, ONG de Capacitação e Educação de jovens para o mercado de trabalho

Apresentado o "curriculum" do autor da frase, PERGUNTO: - O que é isso que compele a uma pessoa a, ultrapassar os limites da razão?


Essa afirmação hipócrita de que "Pais que levam filhos à igreja não vão buscá-lo na cadeia" com nítida conotação religiosa tem as cores do proselitismo e tenta persuadir pelo medo, os pais de famílias que zelam pela educação dos filhos.

Levar seu filho à igreja pode acontecer tudo, inclusive nada. Desde ir buscá-lo na cadeia por conduta criminosa, no hospital vítima de estupro por padres ou pastores ou clínicas psicológicas por outros atos lesivos diverso da conjunção carnal, o que não se pode negar diante de farta matéria publicada diariamente nos noticiários policiais sobre a pedofilia nas igrejas.

Levar filho para igreja pode fazer dele um cidadão, mas também um criminoso que poderá ser encarcerado por alguns anos pela prática de crimes inerentes aos que professam a fé cristã. E que jamais os praticariam se fosse ateu.

"Se há uma lição que a história demonstra em cada página, é: mantenha suas crianças longe dos sacerdotes e pastores, ou eles os farão inimigos da humanidade". (William Kingdon Clifford) 

Neste país em que os valores estão se invertendo, e o descaso do governo com a Educação e Segurança Pública vem se agravando dia a dia, com cada vez mais crianças e adolescentes ingressando nas fileiras do tráfico de drogas, homicídios, estupros, furtos, roubos, assaltos e assaltos seguidos de morte, sem punição aos menores delinquentes, a Igreja seria o lugar mais adequado, segundo o autor da frase - Içami Tiba,  um católico fervoroso com programa televisivo na Rede Vida, o maior canal católico do mundo.


Içami sabia previamente que esta frase iria ser bem aproveitada pela Igreja Católica e sem dúvidas traria mais audiência para a Rede Vida, pois tem o pretexto de influenciar os zelosos pais católicos a orientar de maneira excessiva e disciplinada, suas crianças com o cérebro ainda em formação, a pensar só no que é preciso pensar para honra e glória da classe sacerdotal.


O japonês que imigrou para o Brasil ainda criança, absorveu a cultura e a religiosidade brasileira esquecendo por completo as suas origens.


Confesso que depois de ler o "curriculum" do Dr. Içami Tiba, não acreditei que a frase fosse dele e passei a pesquisar na internet de quem seria pensamento tão esdrúxulo. Constatei, para minha decepção que era realmente do Dr. Içami Tiba.

Pergunte a você mesmo e responda: Se os pais de Içami Tiba, ao invés de ter vindo para o Brasil, tivesse ido para o Afeganistão, estaria ele hoje pregando o Cristianismo e enfrentando os talibãs ou estaria treinando homens bombas para matar pessoas inocentes em shoppings?


Claro que esta última afirmativa seria mais provável, pois se ele abandonou os usos e costumes do seu povo e abraçou um novo estilo de vida aqui no Brasil, certamente teria abraçado a causa talibã se tivesse sido educado no Paquistão.

O problema da criminalidade e as superlotações nas penitenciárias brasileiras, não se prende a ausência de religião no indivíduo delinquente, mas de políticas públicas, escolas em primeiro lugar.

O que a história registra amplamente nestes últimos 2 mil anos é a incapacidade das religiões na transformação moral dos seus seguidores. Se igrejas fossem capazes de educar o povo, na cidade de Salvador não haveria crime, e não se poderia caminhar hora alguma do dia ou da noite na Dinamarca, Suécia, Suíça e outros países europeus onde a religião está em baixa.

Para tirar a prova disso é muito fácil. Pesquisas realizadas pelo Estado do Paraná revelam que:

"A Religiosidade dos presos: 54% admitiram serem Católicos Apostólicos Romanos, 3% Evangélicos de Missão, 21% de Evangélicos de Origem Pentecostal, 12% Outros Evangélicos, 2% de Espíritas e 8% Sem Religião. A somatória de Evangélicos dos diversos segmentos atinge 36% do total." 

Assim como se destacou uma Religiosidade grande entre os presos, 92% afirmaram ser muito Bom a prática da Religião dentro das unidades penais, e apenas 8% não responderam. Questionados sobre a prática religiosa, 63% afirmaram serem praticantes antes de serem presos, 26% Não eram praticantes e 11% Apenas depois de preso. Há que se ressaltar que dos entrevistados, 40% chegaram a fazer a Catequese, sendo que 10% fizeram menos de um ano, 17% fez um ano e 8% mais de um ano de Catequese, 5% não se lembram e outros 60% Não fizeram a catequese."

Dito isto, vamos esmiuçar os fatos.

Longe de mim, a ideia de generalizar o resultado desta pesquisas e afirmar que os cristãos são os responsáveis por 60.000 homicídios praticados aqui no Brasil por ano. Isso porque não conheço nenhuma notícia que afirme que alguém de tal religião matou seu semelhante por motivo de credo, mas é um bom indício para demonstrar que o Cristianismo em 2 mil anos, não conseguiu modificar o comportamento de seus fiéis adequando-os para viverem em harmonia com seus semelhantes em uma sociedade igualitária.

Outros exemplos mostrados nos noticiários nos dão conta de quanto é insignificante a religião cristã na ética das pessoas. Deflagrada a greve de policiais nas grandes cidades, as ruas ficam desertas, aulas são suspensas, supermercados são saqueados, bancos arrombados, ônibus recolhidos, roubo e assaltos são praticados sem o menor receio de serem julgados depois da morte, provavelmente por que o Cristianismo ensina que basta se arrepender no último décimo milionésimo de segundo antes da morte e todos os pecados serão perdoado e os mais terríveis de todos os criminosos serão premiados com uma vida eterna no paraíso.

Para o conceito material, crime é comportamento humano causador de lesão ou perigo de lesão ao bem jurídico tutelado, passível de sanção penal. Logo meu gato não pode ser sujeito ativo de uma ação penal, pelo fato de não ser humano.

Ateus praticam crimes?
- Praticam

Religiosos praticam crimes?
- Praticam

Japoneses praticam crimes?
- Praticam.

Em Direito Penal, os homicídio são classificados em privilegiado,  simples, qualificados e homicídios culposos. Estes são os crimes comuns como também os são os furtos, os roubos, assaltos, estupros só a título de exemplo, qualquer pessoa pode praticar, os ateus, os religiosos, os japoneses que aqui residem, etc.

Há também crimes específicos, como "Peculato" e "Corrupção Passiva", que só podem ser praticados por funcionários públicos e o "Infanticídio", pela mãe da criança quando o crime se dá logo após o parto e em estado puerperal.

Mas há crimes que somente os religiosos são capazes de cometer. Vejamos:

- Sacrifícios e holocaustos
         - Impossível ser praticado por alguém que não acredite em uma divindade ou ser sobrenatural. Mas há dezenas de exemplos na Bíblia, inclusive de crianças. No Estado do Maranhão crianças foram castradas como prova de sacrifício religioso.

- Orgias Satânicas
         - Impossível de ser praticada pelos ateus, uma vez que não existe no cérebro dos descrentes entidades sobrenaturais. Nem Deus nem o Diabo. Na cidade de Sumé, no Estado da Paraíba, uma criança de cinco anos foi sacrificada pelos pais, praticantes de magia negra.

- Atentados Terroristas
         - Ateus não praticam atentados terroristas com conotação religiosa, pois lhe falta o motivo fé, de que será recompensado após a morte.

- Homicídios (com conotação religiosa)
         - A degola de cristãos por grupos islâmicos e vice e versa. Não há registro na história que um grupo de ateus tenha ordenado a matança de um grupo pelo simples motivo de crer em Deus ou Deuses

- Conflitos (com conotação religiosa)
         - Cristãos e muçulmanos, católicos e protestantes na Irlanda, Católicos e umbandistas na Bahia e no Rio de Janeiro. Também não há registro de conflitos entre ateus e grupos religiosos.

- Genocídios (com conotação religiosa)
         - A Bíblia relata em detalhes os extermínios dos Cananeus, Midianitas, Gessuritas, Gersitas e Amalecitas. Ateus não matam seus semelhantes pelo motivo de crença ou não crença em divindades, mas a história relata diversas chacinas nas Colônias espanholas nas Américas, onde o governo dos "Reis Católicos" Fernando e Isabel deram apoio a Francisco Pizarro e Frei Vicente de Valverde na carnificina promovida na cidade de Cajamarca no Peru.

- Destruição de Patrimônio Cultural
         - Outra  vez a Bíblia está repleta de exemplos, mas essa prática com implicação religiosa permanece até a presente data, inclusive com noticiário internacional ou policial vindo dos rincões do sertão da Paraíba. Um ateu jamais poria abaixo a estátua do Cristo Redentor, mas é bem provável que cristãos protestantes fundamentalistas já tenham planos para a detonação alegando que Deus proíbe que se construa estátuas e a elas prestem cultos.

- Suicídos
         - O suicídio por si só não é crime, mas a instigação ao suicídio é crime tipificado no Código Penal Brasileiro. A história não registra ateus convencendo pessoas a se suicidarem em grupo, mas no campo religioso há farto noticiário a esse respeito. Os casos mais comovente foram o do pastor Joseph Kibwetere e Jim Jones. Este último induziu ao suicídio 914 pessoas da sua igreja.

Lembrando fatos marcantes na história das seitas, citamos os suicídios que ocorreram na década de 90: em dezembro de 1991, no México, 30 pessoas foram induzidas a beberam álcool industrial durante o ritual do rev. Ramon Morales;

Em março de 1993, a seita do Ramo Davidiano do líder David Koresh nos Estados Unidos resistiu a um cerco da polícia, por 51 dias, e depois, num incêndio, provocado ainda não se sabe por quem, morreram 70 pessoas;

Em outubro de 1994, 56 seguidores da Ordem do Templo Solar suicidaram-se ou foram mortos, em ritual, em Cheiry, Suíça, e no Quebec, Canadá; outros, da mesma seita, fizeram o mesmo na França, em dezembro de 1995;

Em 27 de abril de 1997, na passagem do cometa Halley, na Califórnia, 39 pessoas da seita Porta do Paraíso, cujo líder era Marshall Applewite, que queriam se reencontrar na cauda do cometa, buscando um mundo melhor, decidiram-se pela morte.


Em 17 de março do ano 2000 - Joseph Kibweteere, dissidente da Igreja Católica em Uganda, foi um dos líderes do Movimento para a Restauração dos Dez Mandamentos de Deus.

A promessa era o Reino de Deus. O caminho dos Céus seria em uma arca, que os salvaria do Dia do Juízo Final. Mas os seguidores da seita ugandense Movimento pela Restauração dos Dez Mandamentos entraram na arca do inferno em Kanungu na manhã da sexta-feira 17. A arca do inferno era um templo com janelas fechadas e portas vedadas que explodiu em chamas queimando pelo menos 530 pessoas, entre elas 78 crianças induzidas ao suicídio. As centenas de fiéis cantaram durante horas antes de terem seus corpos embebidos em cerca de 40 litros de ácido sulfúrico misturados a gasolina. A mistura liberou um gás venenoso que matou a todos num incêndio relâmpago e devastador. Depois a polícia encontrou cerca de mais 400 corpos enterrados em uma vala comum por trás da igreja.

Pelos exames, os legistas constataram sinais de estrangulamento e perfurações a faca. Muitos crânios estavam esmagados. Outros cadáveres, sem sinais aparentes da causa mortis, teriam sido envenenados. Repetiram-se as escavações nas demais propriedades do culto, nas redondezas e aldeias vizinhas, e novas valas foram descobertas. No final do mês, diante de um país chocado e amedrontado, contabilizavam-se cinco valas e mais de 800 mortos.




Conclusão

O MUNDO SERIA MAIS PACÍFICO SE TODOS FÔSSEMOS ATEUS.

A frase não é minha, é do escritor português José Saramago. Razão lhe assiste, se não houvesse religião, o mundo estava livres de crimes como sacrifícios, holocaustos, orgias satânicas, atentados suicidas, homicídios, conflito, homicídios, Genocídios, Destruição de Patrimônio Histórico e Cultural e suicídio, todos cometidos com conotação religiosa.

IMAGINEM UM MUNDO SEM RELIGIÃO



Art. 173 do Código Penal Brasileiro - Abuso de Incapaz

Conceito:

Abusar, em proveito próprio ou alheio, de necessidade, paixão, ou inexperiência de menor, ou da alienação ou debilidade mental de outrem, induzindo qualquer deles à pratica de ato suscetível de produzir efeito jurídico, em prejuízo próprio ou de terceiro.

Pena – reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e multa.


Saber Mais

A Igreja Escravista

Estudo Religioso nas Escolas Públicas

Igreja Fechada na Holanda Vira Pista de Skate

Criança Religiosa não é a mais boazinha, diz estudo internacional

Na Paraíba criança foi sacrificada em ritual satânico encomendado por R$ 10 mil

6 comentários:

  1. Religião é veneno..ontem, hoje e sempre..

    ResponderExcluir
  2. O problema é que as pessoas vão uma vez por ano na igreja e diz ser desta religião, mas não participa não aprende nada ,apenas gosta mais da igreja x que a Y.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com a palavra, Robert Ingersoll

      “A religião nunca será capaz de reformar a humanidade porque religião é uma escravidão.”

      Excluir
  3. Jesus Cristo não trouxe nenhuma religião, ele é o único caminho.

    ResponderExcluir
  4. A sua frase retrata bem os malefícios do monoteísmo.
    O Deus de um é o mito do outro, a santa que o pastor chuta ou queima é a mesma que promove milagres em outra igreja.

    Foi exatamente este pensamento esdrúxulo que levou os cristãos primitivos a queimarem templos na Roma Antiga (como ainda hoje fazem com relação as religiões de matrizes africanas) e como punição foram perseguidos e entregues as feras no Coliseu.

    Sugestão de Leitura
    https://porquenaosoucristao.blogspot.com.br/2011/05/cristianismo-2000-anos-de-crimes-terror.html

    ResponderExcluir
  5. Para abrir o link facilmente:
    Posicione o cursor do mouse no lado esquerdo do frase, clique no lado esquerdo do mouse sustentando a tecla e arrastando o mouse da esquerda para a direita, deixando todo o endereço (URL) marcado por uma tarja azul. Em seguida clique com o lado direito do mouse e escolha a opção "Ir até..."

    Pronto, a URL marcada abrirá em uma outra janela.

    Boa leitura.

    ResponderExcluir