sábado, 4 de março de 2017

A HISTÓRIA DE DINÁ




Jacó era um hebreu abençoado por Deus. Muito mais do que isso, eram amigos íntimos, trocavam ideias e favores.(1)




A bíblia narra o encontro de Jacó com Esaú, este acompanhado de 400 homens a caminho de Seir, enquanto Jacó suas duas esposas (Raquel e Lia), suas duas escravas e seus doze filhos, seguiram para Salém, cidade de Siquém, onde armou sua tenda  E comprou uma parte do campo em que estendera a sua tenda, da mão dos filhos de Hamor, pai de Siquém, por cem peças de dinheiro.

Porém sua filha Diná, filha de Lia, resolveu dar uma voltinha pelos arredores da cidade e deu de cara com um príncipe maníaco sexual de nome Siquém, filho de Hamor.




O estupro foi inevitável, como se não bastasse, o príncipe a sequestrou para dentro do palácio do seu pai vindo a se apaixonar perdidamente pela sua vítima.

Caído de amores por sua presa Diná, pediu a seu pai Hamor que interferisse junta a família da moça sequestrada.

Quando Jacó ouviu que Diná, sua filha, fora violentada, estavam os seus filhos no campo com o gado; e calou-se Jacó até que viessem.

E saiu Hamor, pai de Siquém, a Jacó, para falar com ele.

E vieram os filhos de Jacó do campo, ouvindo isso, e entristeceram-se os homens, e iraram-se muito, porquanto Siquém cometera uma insensatez em Israel, estuprando a filha de Jacó; o que não se devia fazer assim.

Então falou Hamor com eles, dizendo: A alma de Siquém, meu filho, está enamorada da vossa filha; dai-lha, peço-vos, por mulher;

Daí por diante a narrativa bíblica trata da negociação da filha de Jacó, tendo o rei Hamor como mediador muitíssimo generoso, inclusive se mostrando interessado em unir as duas famílias, a da moça violentada e sequestrada com a alma de Siquém, o estuprador, sujeitando-se ainda a circuncisão.

Notando os filhos de Jacó o interesse obsessivo de Hamor, resolveram enganar o tolo em toda sua boa fé e fingiram que a aliança esta feita.


A VINGANÇA - Deus ajuda dois homens a promoverem um genocídio - Sequestro de mulheres, meninos e meninas.

E aconteceu que, ao terceiro dia, quando estavam com a mais violenta dor, os dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, tomaram cada um a sua espada, e entraram afoitamente na cidade, e mataram todos os homens.

Mataram também ao fio da espada a Hamor, e a seu filho Siquém; e tomaram a Diná da casa de Siquém, e saíram.





Vieram os filhos de Jacó aos mortos e saquearam a cidade; porquanto violaram a sua irmã.

As suas ovelhas, e as suas vacas, e os seus jumentos, e o que havia na cidade e no campo, tomaram.

E todos os seus bens, e todos os seus meninos, e as suas mulheres, levaram presos, e saquearam tudo o que havia em casa.

E partiram; e o terror de Deus foi sobre as cidades que estavam ao redor deles, e não seguiram após os filhos de Jacó. (Genesis 35:5)





(1) Satisfeito com a sanha assassina de Simeão e Levi apareceu Deus outra vez a Jacó, vindo de Padã-Arã, e abençoou-o.

E disse-lhe Deus: O teu nome é Jacó; não te chamarás mais Jacó, mas Israel será o teu nome. E chamou-lhe Israel.


Deus é fiel:

Disse-lhe mais Deus: Eu sou o Deus Todo-Poderoso; frutifica e multiplica-te; uma nação, sim, uma multidão de nações sairá de ti, e reis procederão dos teus lombos;

E te darei a ti a terra que tenho dado a Abraão e a Isaque, e à tua descendência depois de ti darei a terra.

E Deus subiu dele, do lugar onde falara com ele.
E Jacó pôs uma coluna no lugar onde falara com ele, uma coluna de pedra; e derramou sobre ela uma libação, e deitou sobre ela azeite.
E chamou Jacó aquele lugar, onde Deus falara com ele, Betel.


Gênesis 35:9-15



Se não houvesse um deus, a religião não seria necessária [...] Se Deus existisse, a fé se tornaria desnecessária e todas as religiões entrariam em colapso". (Ron Barrier). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário