segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

O AGNÓSTICO NATAL




por Robert G. Ingersoll

O Journal, New York, 25 de dezembro de 1892.

********
NOVAMENTE celebramos a vitória da luz sobre as trevas, do Deus de dia sobre os anfitriões da noite. Mais uma vez Sansão é vitorioso sobre Dalila, e os triunfos de Hércules mais uma vez sobre Omphale. No abraço de Isis, Osíris ressuscita dentre os mortos, eo Typhon carrancudo é derrotado mais uma vez. Novamente Apollo, com infalível pontaria, com sua flecha da aljava de luz, destrói a serpente de sombra. Este é o festival de Thor, de Baldur e de Prometeu. Novamente Buda por um milagre escapa do tirano de Madura, Zoroastro frustra o Rei, Baco ri da raiva de Cadmo, e Chrishna ilude o tirano. 

Este é o festival do deus-sol, e, como tal deixar sua observância universais. 

Este é o grande dia da primeira religião, a mãe de todas as religiões - a adoração do sol. 

Adoração do sol não é apenas o primeiro, mas o mais natural e mais razoável de todos. E não só a mais natural ea mais razoável, mas de longe o mais poético, o mais bonito. 

O sol é o deus de benefícios, de crescimento, de vida, de calor, de felicidade, de alegria. O sol é o que tudo vê, a tudo-piedade, o todo-amoroso. 

Este Deus brilhante não conhecia o ódio, a malícia, nunca procurou por vingança. 

Todas as más qualidades eram de mama do Deus da escuridão, da sombra, da noite. E por isso eu digo novamente, este é o festival de luz. Este é o aniversário do triunfo do Sol sobre as hostes das trevas. 

Esperemos para o triunfo da Luz - de Direito e Razão - para a vitória de Fato sobre a mentira, da ciência sobre a superstição.
E assim esperando, vamos celebrar o festival venerável do sol. -

Nenhum comentário:

Postar um comentário