sábado, 27 de abril de 2013

PUBLIUS LENTULUS


PUBLIUS LENTULUS - RETRATO FALADO RECEBIDO ATRAVÉS DA MEDIUNIDADE DE DELFINO FILHO

Publius Lentulus é um suposto senador romano que teria vivido na Galiléia à época de Jesus Cristo. Existiria uma carta de duvidosa existência histórica dirigida a Tibério, contendo uma descrição física e da personalidade de Jesus, que se atribui a ele. Referida epístola teria sido encontrada no arquivo do duque de Cesarini (Século XVII).


 A Enciclopédia Católica considera-o uma figura fictícia.

Publius Lentulus é uma pessoa fictícia que diz ter sido governador da Judéia antes de Pôncio, e ter escrito a seguinte carta ao Senado romano:

"Lentulus, o governador do Jerusalém para o Senado romano e Pessoas, saudações.

Tem aparecido em nossos tempos, e ainda vive, um homem de grande poder (virtude), chamado Jesus Cristo. 

As pessoas o chamam de profeta da verdade , seus discípulos , o filho de Deus. Ele ressuscita os mortos e cura enfermidades. Ele é um homem de tamanho médio, ele tem um aspecto venerável, e os seus espectadores podem tanto medo e amo ele. Seu cabelo é da cor da avelã madura, em linha reta até as orelhas, mas abaixo das orelhas ondulados e enrolados, com um reflexo azulado e brilhante, que flui sobre os ombros. 

Separaram-se em duas na parte superior da cabeça, após o padrão dos nazarenos . Sua testa é lisa e variam alegre, com um rosto sem rugas ou local, embelezado por uma pele levemente avermelhada. O nariz e a boca são irrepreensíveis. Sua barba é abundante, da cor do seu cabelo, não longa, mas dividida no queixo.

Seu aspecto é simples e maduro, seus olhos são mutáveis e brilhante. Ele é terrível em suas reprimendas, doce e amigável em suas admoestações, alegre, sem perda de gravidade. Ele nunca foi conhecido por rir, mas muitas vezes a chorar. Sua estatura é reto, com as mãos e os braços bonito de se ver. Sua conversa é grave, freqüente, e modesto . Ele é o mais belo entre os filhos dos homens."


Dobschutz faz uma crítica ao referido documento enumerando vários detalhes. A carta foi impressa pela primeira vez no livro "Vida de Cristo" por Ludolph de Colônia em 1474 e na "Introdução às obras de St. Anselm" (Nuremberg, 1491). 

De acordo com o manuscrito de Jena, um certo Diácono de Colônia encontrou a carta em 1421 em antigos documentos enviados para Roma a partir de Constantinopla. Trata-se de um documento de origem grega, e traduzido para o latim no século XIII ou XIV, embora recebeu sua forma presente nas mãos do humanista do século XV ou XVI. 

 A carta de Lentulus é certamente apócrifa : nunca houve um governador em Jerusalém, nem procurador da Judéia conhecido por Lentulus. Um governador romano não teria abordado o Senado, mas o imperador, um escritor Romano não teria empregado as expressões, "profeta da verdade ", "filhos de homens ", "Jesus Cristo". Os dois primeiros são expressões hebraica, o terceiro é retirado do Novo Testamento . A carta, portanto, mostra-nos uma descrição do nosso Senhor , como Christian  o concebeu.





Referências na Doutrina Espírita

A psicografia segura de Francisco Cândido Xavier, vulgo Chico Xavier, nos relata no livro “Há dois mil anos”, escrito através do autor espiritual Emmanuel, com riquezas de detalhes os principais fatos da vida de Publius Lentulus Cornelius, que teria sido uma das reencarnações do próprio Emmanuel. Há, nesta obra mediúnica, passagens descrevendo seu encontro com Jesus, onde o Cristo intercede pela cura de sua filha, que contraíra lepra. Sua esposa Lívia, dama patrícia, tornara-se cristã. Lentulus também teria tido papel importante no julgamento de Jesus por Pôncio Pilatos. Ainda de acordo com o relato da obra, Publius Lentulus teria sido a reencarnação do seu bisavô Publius Cornelius Lentulus Sura.

Atribui-se a tal personagem, um relato com as características físicas e da personalidade de Jesus Cristo, o qual não está presente no romance citado.


REFERÊNCIAS
Francisco Cândido Xavier. Há 2000 Anos. Pelo espírito Emmanuel. 41ª ed., Rio de Janeiro: FEB, 2001.

NOTA



“Há Dois Mil Anos” é um romance espírita psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier com autoria atribuída ao espírito Emmanuel. Foi publicado no ano de 1939 pela Federação Espírita Brasileira.

Com o sub-título de Episódios da História do Cristianismo no Século I, a obra narra os principais fatos da vida do orgulhoso senador romano Publius Lentulus (que teria sido uma das encarnações do autor espiritual), entre os quais estão o encontro com Jesus, o milagre da cura, pelo Divino Mestre, da filha que contraíra lepra e a conversão da esposa Lívia ao cristianismo.

"Há Dois Mil Anos" está incluído entre os dez melhores livros espíritas publicados no século XX segundo pesquisa realizada em 1999 pela "Candeia Organização Espírita de Difusão e Cultura".







video





Nenhum comentário:

Postar um comentário